segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010


CENA DE FAVELA

Texto de Aluísio Cavalcante Jr.



I


Ante a luz de pálida vela,

Na favela,

Uma criança chora.

E perante a noite meiga,

Cada lágrima é uma queixa.

Cada soluço, uma mágoa.



Por entre as paredes de barro,

Do barraco,

Um canto ouve-se agora.

É a mãe da criança que canta,

Com uma voz tão meiga e branda,

Que o filhinho aflito acalma.



“- Meu filhinho dorme... dorme...

Não chore assim, não... não.

Enxugue teu rosto lindo,

Filhinho do coração.

Nosso dinheiro acabou-se.

Findou-se também o pão.



Teu pai, coitado... coitado...

Do trabalho não chegou.

Coitado trabalha muito,

Mas pouco lhe dão valor.

Ontem te vendo magrinho

De tristeza até chorou.



Eu também saí cedinho

Com minha velha sacola.

Andei por muitos lugares.

Bati de porta em porta.

“- Perdoa”, todos disseram

Todos negaram a esmola.



Por isso não chore filho.

Não chore assim, não... não...

Enxugue teu rosto lindo,

Meu filho do coração.

Nosso dinheiro acabou-se,

Findou-se também o pão”.



Com os olhinhos cheios d’água

E de mágoa,

A mãe parou de cantar.

Depois de orar complacente,

Saiu do quarto mansamente,

Para o filho não acordar.




II

Ante a luz de pálida vela,

Na favela,

Uma criança dorme.

E perante a noite branda,

Segue sonhando a criança,

Que dormiu sentindo fome.






_____________________________________________






A HISTÓRIA DO TEXTO





Este texto nasceu com o objetivo de nos lembrar,

que por trás de um Brasil tão rico, existe um Brasil tão pobre.

Enquanto houver uma pessoa com fome,

nossa missão no mundo estará incompleta.

Nossa felicidade também.










56 comentários:

  1. o que mais me revolta neste tipo de situação é que existe gente suficiente com informação e, teoricamente, esclarecimento pra fazer diferente e preferem fechar os olhos pra realidade, afinal, é mais simples e esquecem da imensa culpa que possuem nessa realidade. e, o pior, transformam qualquer um que não aceita esse tipo de coisa em radical. se ser radical é lutar pelo justo, sejamos todos belos radicais!

    ResponderExcluir
  2. Fernanda Fernandes11 de junho de 2009 17:12

    Através desse texto podemos ver uma realidade diante de nossos olhos, mas que na verdade nem queremos enchergar...
    Lulu o texto está maravilhoso, fiquei emocionada ao ler!

    ResponderExcluir
  3. Obrigada por tuas palavras.
    Sempre voltarei aqui para ler teus textos.
    Vou seguir-te.
    Ahhh... não poderia deixar de comentar, né?
    Belíssimo texto.
    Triste, realista, mas foi elaborado com sabedoria.
    Gostei muito, mas principalmente dessa parte:

    "Ante a luz de pálida vela,

    Na favela,

    Uma criança dorme.

    E perante a noite branda,

    Segue sonhando a criança,

    Que dormiu sentindo fome."

    Quantas crianças não dormem com fome?
    O mundo está pedindo socorro e muitos estão surdos para ouvir.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Uma realidade dura e cruel que poucos vêem e outros nada fazem para melhorar essa situação.

    beijooo.

    ResponderExcluir
  5. Às vezes a gente pensa que a realidade poderia ser mais suave...
    Comovente e, apesar do tema triste, muito belo!
    Abraços, Aluísio.

    ResponderExcluir
  6. Ontem fiquei chocada com um estrupro de menor(12 anos).Um brutamontes que poderia procurar uma mulher da sua idade, violentou a inocente menina sob ameaças ao irmãozinho dela de 10 meses. Onde vamos parar!!! Fiz uma postagem sobre a educação, pode lhe interessar. Bjs

    ResponderExcluir
  7. Olá, meu querido amigo.
    Linda a sua poesia,uma vizão romântica daquela realidade, mas como trabalhei muitoa anos em comunidades carentes nos morros do Rio d e Jneiro, a minha visão difere um pouco da sua.

    ResponderExcluir
  8. EXACTAMENTE...O POEMA É LINDO...RETRATA UM POUCO A REALIDADE DO BRASIL...POIS O TEU POEMA DE TÃO SINGELO NÃO CONSEGUE VER TODO O MAL...

    O MUNDO PERTENCE A TODOS E CADA UM DEVE SER O MENSAGEIRO DE PAZ,DA ALEGRIA,DO SOL, DA JUSTIÇA E DO AMOR

    UM CÉU ESTRELADO TAMBÉM PARA TI

    ResponderExcluir
  9. É triste a realidade de quem não tem o que comer, quem sofre com a dor de não poder fazer nada.

    "E assim caminha a humanidade..."

    ResponderExcluir
  10. Aluízio

    Minha primeira vez aqui e confesso tô pasma com a delicadeza desse texto!Escrever sobre a realidade de forma tão linda e pura que faz ela aos nossos olhos nem ser tão feia ou dura?
    Maravilhoso!

    "Enquanto houver uma pessoa com fome,
    nossa missão no mundo estará incompleta.
    Nossa felicidade também."

    Assino embaixo:
    Juliana Costa de Lira

    Milhões de beijos

    ResponderExcluir
  11. e tem gente que ainda reclama da vida que tem!


    lindo.

    ResponderExcluir
  12. Eu já lhe perdoei, mas falta-me um bocadinho de confiança. Eu sempre acreditei nele e dei-me mal. Agora estou a ir com calma, e o que tiver que ser, será.
    Obrigada pelas palavras (:

    ResponderExcluir
  13. Adorei muito teu blog .
    Estou te seguindo .


    Um beijo .

    ResponderExcluir
  14. Bravíssimo! Lindo demais!
    Sinto-me honrada por sua visita e seu comentário. Elogios vindo de um poeta como você, incentiva-me a escrever.

    Um fraterno abraço!

    ResponderExcluir
  15. tEU POEMA EMOCIONA.uMA PENA QUE ISSO ACONTECE TANTO!ABRAÇÃO E OBRIGADO PELO CARINHO,CHICA

    ResponderExcluir
  16. Cada palavra lida um nó formava-se na minha garganta e eu tentava conter as lágrimas que já não cabiam nos olhos e começavam a cair...lindo demais seu poema. Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  17. Poema iluminado pela beleza das palavras poéticas mas, contém uma realidade extremamente feia. caríssimo Poeta Aluísio tenho comigo um pensamento:"O poeta é o profeta da modernidade e precisa mostrar as feridas que marcam a nossa sociedade!. Parabéns Caro Poeta-Profeta.

    ResponderExcluir
  18. Triste e mais triste porque verdadeiro!

    O que mais revolta é que nada se faz para que esta situação melhore,todos,eu também,passamos a responsabilidade a terceiros e nem esmolas damos ,o que os "doutores" aconselham para não incentivar o hábito de pedir e os fazer trabalhar!!

    Fico envergonhada do que tenho,que não é muito, mas o suficiente para ter criado filhos sadios!

    Envergonhadamente,um beijo!

    Sonia Regina.

    ResponderExcluir
  19. Bem lindo ^^

    To te seguindo.

    beijos,beijos

    ResponderExcluir
  20. Ola' Aluisio... seus textos sao lindos!
    Prazer em conhece-lo... ja' vou seguindo, por aqui! :o)
    Beijos, flores e muitos sorrisos!

    ResponderExcluir
  21. Venho agradecer a honra da visita e comentário no nosso "retirito".
    Que beleza de palavras sentidas aqui encontradas neste seu poema.
    É como diz, se não fosse tanta fome, injustiça, miséria, malvadez...até conseguia sentir-me feliz neste Mundo Terra.
    Assim sendo, sou feliz como Deus quer...mas é muito difícil, fechar ouvidos e olhos ao que nos rodeia.
    Bastava fazermos cada um o que Jesus ensinou e quer...amarmo-nos uns aos outros, como ELE nos amou e ama.
    Tão simples e tão difícil!
    Quando nós humanos encaramos esta realidade!
    Bem-haja, por este belo poste.
    Forte abraço
    Mer

    ResponderExcluir
  22. _______________________________________________

    Parabéns, seu poema é muito bom! Além do conteúdo sentido e emocionante, obedece a métrica em todos os versos...Eu gosto muito! Alguns escritores, criticam as métricas e rimas,mas, eu gosto da poesia clássica!


    Beijos de luz e obrigada, pela tão gentil visita...


    ____________________________________________

    ResponderExcluir
  23. Vi crianças alimentando-se do lixo, num pais que é rico em tudo, que "em plantando tudo dá"...
    Tanta riqueza e tanta miséria...

    ResponderExcluir
  24. Cheguei ao teu cantinho pelo "Retiro do Eden"
    É angustiante sabermos que existem tantos seres onde falta quase tudo e assim vão perdendo a própria dignidade, eu digo muitas vezes que se existisse mesmo vontade de acabar com a fome ela acabava mesmo, não se entende que tanta gente morra por tanto comer, as doenças inerentes ao excesso alimentar e outras tantas morram de fome, mas infelizmente a muita gente interessa ir dando migalhas para se promover sem se fazer um trabalho de fundo.
    obrigado por nos lembrar que cada um de nós deve de olhar para o lado e não só para nós mesmos
    bom fim de semana

    ResponderExcluir
  25. Por mais que a ignoremos na maior parte de nossas vidas mesquinhas,a desigualdade está aí,e por mais que tentemos fazer algo,sempre existirá essa sombra,fruto do capitalismo desenfreado...
    O seu texto tem muita sensibilidade,e faço minha as suas palavras:passei pra conhecer o seu espaço e valeu muito a pena,estou te seguindo agora....bjs

    ResponderExcluir
  26. Aluísio,

    muito obrigada por essa partilha. Eu também acredito em sonhos. Sem eles não há realizações... Sempre vamos passar pelos pensamentos e depois com a alma repleta levamos as ações. E quando estamos enxergando com o olhar do coração é porque estamos, definitivamente, alimentando a nossa alma e iluminando a todos que estão ao nosso redor!

    "...Enquanto houver uma pessoa com fome,
    nossa missão no mundo estará incompleta.
    Nossa felicidade também"

    Obrigada,

    Gisele

    ResponderExcluir
  27. Muito obrigada pela visita, e seu blog é puro estesia, com esta poesia nos lembrando do outra lado da moeda.
    Sim, bom lembrar.
    Beijo no coração

    ResponderExcluir
  28. Poxa Aluísio, é verdade, o senhor fez com que a verdade se mostrasse em letras.. Parabéns.

    ResponderExcluir
  29. Você é mesmo incrível...suas palavras são um bálsamo...

    Nunca seremos totalmente felizes enquanto houver tantas diferenças neste mundo...por isto "CHOREI" ontem...passe lá se quiser, e leia...

    Mas, também acredito que DEVEMOS SER A DIFERENÇA QUE QUEREMOS VER NO MUNDO....

    Não vamos infelizmente conseguir mudar tudo ou ajudar a todas estas crianças....mas cada um de nós tem a "obrigação" de fazer a sua parte...

    FAÇAMOS, gente...FAÇAMOS!!!

    E sim...Deus na verdade, é cada um de nós, e está aqui bem dentro de nossos corações....no olhar doce de uma criança, no amor de um casal, num abraço apertado, numa mão estendida...

    Beijos com muito amor,

    Bia

    ResponderExcluir
  30. Li e reli.......
    Simplesmente de emocionar, e neste emocionar, refletir!
    Aplausos meu amigo!! Todos!!
    Bea

    ResponderExcluir
  31. Poesia muito comovente que mostra a triste realidade do nosso país!O Haiti também é aqui!Abraços,

    ResponderExcluir
  32. Seu texto é profundo e tem uma essencia carismática.
    Estou te seguindo.
    Gostei muiiiiito daqui.
    beijos

    ResponderExcluir
  33. O wue falta neste país é educação e oportunidade a todos de uma vida digna, quem quer trabalhar e ser honesto perante sua família, mas os exemplos são os piores gente brigando por dinheiro que não é seu , gente morrendo, gente roubando de quem não tem, e gente que não se preocupa com a gente...paz.

    y

    ResponderExcluir
  34. Olá!!

    A caneta do poeta
    grita em silêncio
    arranha letras
    um rascunho de tinta
    desenha o papel

    Calor arrepia
    calafrio derrete
    escorre escarlate
    folhagem de letras
    restos densos
    de sua alma nua


    Amor e paz na nova semana...Beijos!!

    ResponderExcluir
  35. BOM DIA!
    FESTA SURPRESA...
    CONVITE.
    GOSTARIA DE RECEBER PARA BRINDARMOS O ANIVER...
    TE ESPERO..
    ONDE: CURIOSA.
    HORÁRIO: DURANTE O DIA.
    DIA:08.02.2010

    FICAREI MUITO FELIZ EM TE RECEBER...
    SANDRA

    ResponderExcluir
  36. É um belo texto, amigo; em que pese a triste verdade do tema. Meu abraço, boa semana.

    ResponderExcluir
  37. olá!!!!!!!!!! tenho um presentinho para vc no blog. Passe lá . Abraços criativos

    ResponderExcluir
  38. Olá,
    bem... estou sem palavras...
    Que honra ter vindo visitar o meu cantinho!
    Amei de coração o seu espaço!
    Meu deus, que sensibilidade, que escrita linda, linda!
    Sendo muito sincera! Parabens!
    Irei seguir com todo o gosto, espero que sempre que queira volte tambem.
    E este texto, é tão real, tão triste...mas tão real!
    Obrigado!
    Um beijo
    Lita

    ResponderExcluir
  39. " De um lado esse carnaval, de outro a fome total".

    Como é triste a injustiça social :(

    Muito bom o texto!

    Abraaaço!!!

    ResponderExcluir
  40. Eu chorei, senti uma angústia aqui dentro, é a realidade que a gente ve, e que muitas vezes não fazemos nada para ajudar...

    ResponderExcluir
  41. Obrigado por sua mensagem!

    Você
    tem idéia do quanto fiquei
    feliz ao receber a sua mensagem ontem?

    Saiba que você é uma pessoa que
    admiro muito, alguém realmente especial,
    e receber esta surpresa fez o
    meu dia muito melhor.

    A vida fica realmente iluminada
    quando se tem amigos como você.
    Tenha um dia feliz!

    beijooo.

    ResponderExcluir
  42. Aluísio Cavalcante Jr
    VENA DE FAVELA, é uma poema ealista, muito bem escrito, rendo-me a sua pessoa, meus cumprimentos de PÉ, aqui voltarei muitas vezes,
    com admiração,
    Efigênia Coutinho

    ps:coloquei uma Rádio ao meu Blog.
    É, feita por um amigo, passa lá!

    ResponderExcluir
  43. Boa tarde.
    Gostei por demais do teu blog.
    Eu li a sua postagem,confesso q me emocionei.
    A realidade é tão dolorida quando deveria ser mais alegre.
    Acho q por isso q tantos passam mais tempo sonhando do q realizando.
    Uma linda tarde.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  44. Depois de tropeçar em algumas pedras pelos caminhos, retorno com amor, pra suavizar as feridas com a sua poesia...Bjs...

    ResponderExcluir
  45. Meu querido amigo
    Belissimo poema...muito real.
    Li com muita emoção.

    beijinhos
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  46. Deixei a acesso do meu blog apenas à leitores convidados e gostaria de lhe enviar um convite. Envie o email do seu blog para: angelica3292@gmail.com.

    Aguardo retorno.
    Abraços...

    ResponderExcluir
  47. Sinto angustia, revolta, inquietude e desespero... Mas recebo doses de esperança para não enlouquecer e acreditar na espécie humana. Acreditar que poderemos dividir, cumprimentar, alimentar e viver pacificamente com os nossos iguais.

    ResponderExcluir
  48. Olá !
    um poema que vale ser lido e relido!!!

    Vim rapidinho para deixar um beijo e agradecer o seu carinho deixado em meu blog em forma de palavras. Saiba que para mim é um prazer receber a sua visita!

    Quando puder passe no blog e confira a minha parceria com o Elcio num poema.

    Um beijo carinhoso

    ResponderExcluir
  49. não ter nem o que comer. onde é que a gente vai parar?!

    ResponderExcluir
  50. Uma verdade bem real...que poucos querem ver...e muitos não ligam:(
    Beijo d'anjo

    ResponderExcluir
  51. Tão verdadeiro, tão triste,belo poema, nós como educadores vemos tanto essa realidade, e dói a alma... bjus querido poeta, fica com Deus.

    ResponderExcluir
  52. Texto muito lindo...um poeta que encanta o mundo, mesmo falando da dor. Beijos.

    ResponderExcluir
  53. Olá, Aluisio, obrigado por sua visita e comentário. Parabéns pelo texto, emociona. Apenas complementando, diria que o Brasil rico e o Brasil pobre coexistem com indisfarçado sarcasmo, principalmente por parte do rico, que vê no seu irmão pobre o trampolim para se manter acima das nuvens. É vergonhoso e indecente! Gde abraço.

    ResponderExcluir
  54. Voltei conforme prometido, tinha-me ficado na memória "olhar o mundo com os olhos do coração" e também a serenidade desse bebe dormindo de dedinho na boca, me lembrou eu..., esse poema que escreveste revela bem a pessoa que és. Obrigada por me teres trazido a este espaço.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  55. Excelente reflexão, precisamos nos indignar perante a miséria e não apenas assitir apáticos as maselas sociais.
    Um fote abraço.
    Sandra Cavalcanti

    ResponderExcluir