quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

SOBRE O AMOR E O TEMPO
Texto de Aluísio Cavalcante Jr.


Há amores

Que nos completam.

Há amores

Que nos multiplicam.

Os primeiros,

Fazem-nos transbordar de alegrias.

Os segundos,

Fazem-nos transbordar de plenitudes.

Cada tipo de amor tem seu exato tempo de existir,

E seu exato tempo de se fazer história em nossa vida.

Assim,

O melhor que podemos fazer pelo amor,

É não querer transformá-lo em eternidade,

Pois, somente o amor

É capaz de escolher

O instante perfeito de chegar,

E o momento único de partir.





__________________________________________








A HISTÓRIA DO TEXTO






Passar por esta vida e viver um amor,

é receber um presente da vida.

Acredito que para viver este sentimento

a palavra eternidade deveria ser substituída

pela palavra intensidade.

Amores vividos assim

escrevem histórias em nossas histórias.












44 comentários:

  1. Sobre o amor e o tempo muito haverá a dizer!

    Gostei deste momento.

    Beijinho,
    Ana Martins

    ResponderExcluir
  2. Há amor que se completa e há amor que se multiplica... eu sei.

    Mas ainda não entendi ¨somente o amor é capaz de escolher o instante perfeito de chegar, e o momento único de partir.¨

    Beijos de caminhante

    ResponderExcluir
  3. Aluísio


    Lindos versos cheios de verdade... me fizeram lembrar Vinícius:

    Que não seja imortal, posto que é chama
    Mas que seja infinito enquanto dure
    .



    Bjs

    ResponderExcluir
  4. O sentimento escolhe, nós somos os escolhidos.

    Belo poema!

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  5. Amor não é sentimento.
    É vida que nos faz viver
    É dar sem nada esperar
    É receber sem nada pedir

    ResponderExcluir
  6. Verdadeiro e profundo.
    Sinto-me apenas como uma fábrica de amor, deixo-me fábricar.
    Beijos,
    Lu

    ResponderExcluir
  7. ai esta segunda parte (a da hora de partir) é muito difícil de entender e aceitar. Um beijo!!!

    ResponderExcluir
  8. Amores....
    Todos belos, bonitos, fagueiros,
    amores do tempo, amores de janeiros...
    Tem as suas formosuras, seus encantos,
    suas flores,
    a seu tempo, de passagem, todos nos são
    verdadeiros...


    Lindo Aluisio

    Bjs

    Livinha

    ResponderExcluir
  9. Perfeito, Aluísio! Nada me resta a acrescentar. Meu abraço, boa semana!

    ResponderExcluir
  10. MARAVILHOSO! Que tenhamos sempre amor! (:

    ResponderExcluir
  11. Perfeito!

    Um poema reflexão, repleto de sabedoria e lindamente escrito.

    Um beijo e ótima semana.

    ResponderExcluir
  12. Gostei da escrita...
    Há amores!!! Isso já é um graça!

    ResponderExcluir
  13. O amor tem várias facetas e é complexo;fundamenta, no entanto. A vida é um acto de amor, é um presente que deve ser tratado e preservado com muito cuidado; devemos viver esse presente com itensidade, diz bem,pois a sua delicadeza é tal, que, ao menor descuido se vai; vai a vida, vai o presente e com eles o amor; ele é que escolhe e, de um momento para o outro pode decidir e partir. Aproveitemos, pois, a vida da melhor maneira que soubermos e pudermos, aproveitemos o presente amando com intensidade, façamos o nosso melhor a cada dia, pois estas são as únicas opções a que temos direito; as outras...bem...só a vida pode decidir. Gostei muito deste teu poema, como sempre, aliás. Um beijinho e obrigada pela partilha.
    Emília

    ResponderExcluir
  14. Amigo Aluisio,
    Já disse uma vez o poeta
    "Qualquer forma de amor vale a pena,
    quando a alma não é pequena " Tu és
    imenso.Lindo poema,real,verdadeiro.
    Grande beijo,boa semana.

    ResponderExcluir
  15. Olá, Aluízio!

    Se soubéssemos o momento da partida,
    não perderíamos tempo com bobagens,
    seria apenas o sentir e nada mais,
    ficar junto o mais tempo possível
    e nunca se esquecer de se despedir
    ao sair, com um sorriso mo rosto
    e um abraço caloroso.

    Bjs
    Chris

    ResponderExcluir
  16. É difícil sabermos a hora de partir, isto porque quando o amor acaba para um, nem sempre acaba para o outro.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  17. Vivemos por amor...
    Morremos de amor...
    Estava com sôdades, doces, docê!
    Beijuuss n.c.

    ResponderExcluir
  18. Querido amigo,

    O amor se basta e, a meu ver, é atemporal.
    Se um dia bate a nossa porta, ficará para sempre, ainda que vá embora.

    Beijo,
    Inês

    ResponderExcluir
  19. Lindissimo! Verdadeiro sem dúvida...e muito belo...
    Um beijo
    Lita

    ResponderExcluir
  20. Olá, estou apenas passando para avisar que o endereço do meu blog mudou, tem lá um pequeno esclarecimento.
    Beijos,
    Lu
    http://entreogizeocoracao.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  21. Obrigada pelo comentário e carinho de sempre...

    É eu estou querendo um amor mais singelo, mais companheiro, mais gestos, enfim, alguém que complete o vazio...

    ResponderExcluir
  22. Meu amigo,

    Ler teus poemas é reviver os sentimentos do passado que nós aflora do hoje.

    Quando leio: Poema para tua Ausência e De Repente, me faz refletir na dor que um dia fiz alguém sentir, deixou marcado em uma carta que quando leio me dói o coração, mas, foi sem querer, mas, fiz. Um amigo transformou-a em crônica, "Teu não como sim", veja:http:/iazla.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  23. Aluísio, meu querido amigo poeta, que magnífico o seu poema!

    Esses versos me encantaram:

    "Pois, somente o amor
    É capaz de escolher
    O instante perfeito de chegar,
    E o momento único de partir."

    Dizer mais o quê? :)
    Perfeito!

    Beijos, querido.

    ResponderExcluir
  24. Lindo!
    Como dizia o grande poeta: "que seja eterno enquanto dure".

    ResponderExcluir
  25. Simplesmente maravilhoso, beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  26. Ser escolhido pelo amor é um privilégio.

    Beijo pra você, amigo.

    ResponderExcluir
  27. Aluísio,

    E o melhor de tudo é que ele sempre nos pega desprevenidos assim meio sem querer... e aí já era!

    Lindos versos!

    Que você tenha uma linda semana

    Deus seja contigo

    ResponderExcluir
  28. Amor e tempo se completam, também se separam, o que torna a equação uma incógnita. Só quem sente, sabe cuidar. Quem não se entrega, morre de vontade de saber. E é assim que a complexidade humana se alastra, é quietude, mas ainda provoca guerras e desajustes.

    Lindo, meu querido!

    BeijUivooooooosssssssssssssss

    ResponderExcluir
  29. Lindo, mas difícil. Muito difícil praticar viver um amor que me multiplica sem desejar que seja eterno, sem fim, que continue me multiplicando, me fazendo maior do que sou!

    Convido a ler "Beijar teu corpo" e uma entrevista que postei ontem.

    Andei meio "fora do ar" e estou com saudades de tudo e de todos o que inclui tua escrita e visitas.

    Beijos,

    ResponderExcluir
  30. Aguardo o novo post, amigo. Meu abraço, boa semana! :)

    ResponderExcluir
  31. Aluisio, meu querido, você mastiga e cospe as palavras...e a gente só fica com a essência... lindo!!! Saudades de vir aqui. Bjs.

    ResponderExcluir
  32. Olá Aluisio, desejo que tudo esteja bem contigo!
    Belíssimo poema! Pois é meu caro Aluisio, a única coisa eterna no amor são as lembranças, tão sentimento é o amor que tomados por ele nos transformamos, e ele deixa de ser um sentimento pra se tornar em nós um jeito de ser, tanto que quando o perdemos demoramos a nos encontrar no antigo e velho estilo! Perante o amor somos apenas coadjuvantes! Desejo a você e todos ao redor infinita felicidade, obrigado pela amizade, abraços e até mais!

    ResponderExcluir
  33. Parabéns pelo blog , é lindo e toca no coração,fika com Deus..abraços!!!

    ResponderExcluir
  34. Concordo com tamanha sabedoria.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  35. Olá amigo Aluisio,

    Passei para deixar beijinhos e desejar um excelente final de semana.Beijos.

    ResponderExcluir
  36. Meu querido amigo

    Uma reflexão muito verdadeira sobre o amor...quando é amor, vem para ficar, se é apenas paixão é passageira.
    Já tinha passado e comentado , mas desapareceu, o bloger anda um bocado mal.

    Deixo um beijinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  37. Olá Aloísio.
    Tudo bem?
    Brincará neste carnaval?

    ResponderExcluir
  38. Há amores eternizados. Amores de pai, mãe, irmãos, por exemplo, nunca morrem. E talvez por este meio, torna-se uma tendência humana amar a outros e, uma vez este acabado, declarar que não fora amor, simplesmente por não ter eternizado-se. O importante, de fato, não é que tal sentimento seja para sempre, e sim que este seja intenso enquanto dure. Ótimo texto, inspirador!
    Beatriz Guerreiro, Clara Arruda e Vinicius Torres.

    ResponderExcluir
  39. Muito lindo o poema Aluisio
    Saudade de vir aqui , o tempo, as férias , o verão impediram-me.
    Passo e deixo meu abraço

    PS- vou levando seu poema como mais uma preciosidade.

    ResponderExcluir
  40. MEU CARO AMIGO,QUE NOSSO AMOR PELO AMOR PERDURE.LINDO POEMA COMO SEMPRE O FAZES,BJS.

    ResponderExcluir
  41. Onde estavas para me dizeres todas essas coisas e fazer meu sofrimento e minha compreenção um minorar 50% e o outro aumentar a 100%?

    Essas coisas q cospes suavemente no meu rosto me fazem parar e aceitar aquilo q sei e não quero deixar ir embora por vício.

    Cheiro!

    ResponderExcluir
  42. Impressionante são seus comentários de textos: eles dão uma continuidade do primeiro texto. E lógico, poeticamente perfeitos.
    Gostaria de saber como chegou ao linguagem.
    Amei conhecer seus blogs.São tudo de bom em pequenas e grandes ternuras!
    Tomei a liberdae de publicar o cuidar no pensar e agir. Sei que ele refere-se aos professores e alunos.Mas encaixa-s eperfeitamente em outra ssituações.

    ResponderExcluir
  43. Obrigado pela visita e pelo comentário,são esse tipos de palavras que dão mais força para continuarmos o nosso trabalho.Seu blog está cada vez mais interessante e parabens pelo seu trabalho.Fique com Deus e um bom fim de semana

    ResponderExcluir
  44. Lindo texto.
    Ah o amor... Esse que tenho guardado em há mais ou menos 8 anos. Um amor que surgiu na adolecência e que pouco dele pude apreciar, pois éramos novos ainda, e meus pais não deixavam eu namorar. As escondidas ainda pude degustar, estava descobrindo o que era amar, ele me fazia voar, sentir os beijos dele, e tocar sua pele macia, era como estar em um sonho bom, era como morder uma barra de chocolate, era tão bom quanto tomar sorvete.Enfim, desse amor só resta agora lembranças, lembranças que não se apagam mais da minha memória, uma eterna saudade, que rezo para que um dia possa acabar,pois os nossos destinos tomaram rumos diferentes. Ele teve que ir embora com sua família para outro estado, eu nunca mais o vi.Mas seu olhar estará eterno na minha memória, assim como seus beijos que ainda tento buscá-los nos meus sonhos.Porque eu sei que foi amor, e amor não tem idade para surgir.

    ResponderExcluir