domingo, 30 de agosto de 2009


DE REPENTE...
Texto de Aluísio Cavalcante Jr.


Vieste quando eu não te esperava.

Partiste quando eu mais te precisava.

Demoraste tanto a chegar

E levaste tão pouco tempo para ir.

Levaste tanto de mim,

E deixaste tão pouco de ti,

Nos vagos detalhes que ficaram contidos

Nesta saudade,

Neste vazio,

Nesta lembrança...


___________________________________________________




A HISTÓRIA DO TEXTO



Quando alguém muito amado vai embora, é como se morrêssemos um pouco.
O que dói são as lembranças que ficam.
Os cheiros, os perfumes, os carinhos.
E o que dói mais ainda são os momentos que poderiam ter sido vividos
e não foram.
Escrevi este texto em um dia de solidão.





8 comentários:

  1. Aquí hay un gran blog .. líneas agradable que usted escribió. Felicidades!
    A pesar de que son maravillosas .. un hermoso domingo!

    ResponderExcluir
  2. Incrível como o assunto desse texto veio em uma hora tão oportuna. Recebi um e-mail de uma pessoa, que nem conheço porque ela enviou para todo o grupo da pós da UFC, avisando do falecimento de uma grande amiga e dizia que estava cansada de perder pessoas queridas. Envie seu texto para ela e o link do blog.
    Obrigada, meu amigo por fazer o bem a todos.
    Bjss

    ResponderExcluir
  3. Que coisa boa o que eu ouvi [li!]!!!!!!!
    E a poesia exparge por aqui!!!!!!!!!!!!!!

    Obrigada e volte sempre!

    ResponderExcluir
  4. Belo poema, Aluisio.
    Que esse momento de solidão seja breve, muito breve.
    Obrigada pela visita e volte sempre!
    Bjo e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  5. Muito bom esse blog...obrigado pelo convite. Adorei.

    Já sou um seguidor.


    abraços

    Hugo

    ResponderExcluir
  6. ALUÍSIO, ME DEPAREI COM A MORTE TÃO CEDO QUE FIQUEI COM TANTO MEDO DELA POR TANTOS ANOS. HOJE EU A TENHO DIFERENTE NA MINHA MENTE, MAS MESMO ASSIM É TÃO DIFÍCIL PERDER AS PESSOAS QUE AMAMOS. QUE TEXTO LINDO. OBRIGADA POR ME FAZER SENTIR TÃO BEM. BEIJOS NO CORAÇÃO. MAGA.

    ResponderExcluir